m
Loader image
Loader image
Back to Top

Blog

‘Noite de festa’, o conto natalino baseado em clássico de Charles Dickens

“Noite de Festa”, de Mário Bentes, faz releitura de “Um Conto de Natal”, publicado em 1843

Noite de festa, de Mário Bentes, está distribuído em dezenas de lojas digitais.

A Christimas Carol, obra clássica de Charles Dickens lançada em 1843, comemora 175 anos no dia 19 de dezembro de 2018. Para celebrar a data e homenagear um dos maiores escritores vitorianos do Século 19, o autor e editor amazonense Mário Bentes, 34, vai lançar, no mesmo dia, o conto Noite de Festa, que faz uma releitura da obra conhecida no Brasil como “Um Conto de Natal”.

A Christimas Carol, obra clássica de Charles Dickens lançada em 1843, comemora 175 anos no dia 19 de dezembro de 2018. Para celebrar a data e homenagear um dos maiores escritores vitorianos do Século 19, o autor e editor amazonense Mário Bentes, 34, vai lançar, no mesmo dia, o conto Noite de Festa, que faz uma releitura da obra conhecida no Brasil como “Um Conto de Natal”.

Em sua adaptação, Mário Bentes criou um enredo de uma família arruinada por mágoas do passado. Martinez, um homem velho e infeliz, vive sem luxos com Olga, a filha que restou de um casamento destruído pela traição, e Nina, a neta. Pai e filha vivem um inferno de xingamentos mútuos, enquanto a pequena criança, de apenas dez anos, tenta unir a família.

Bentes conta que usou personagens relacionados com os traumas da própria família para os espíritos do Natal. “Na minha versão, apesar de haver referências a visões do passado e do futuro, são os próprios protagonistas que representam os tempos e as formas como os encaram”, diz Bentes, explicando que Nina representa o passado, Olga o presente e Martinez o futuro.

“‘Noite de Festa’ traz uma história de carga emocional com toques de terror”, diz o escritor, que gosta de usar o que chama de “terror melancólico” em suas obras, como é o caso de seu livro mais recente, Minhas conversas com diabo (2016). “Até pela própria releitura do clássico de Dickens, minha versão tem uma moral cristã forte, mas procurei dar minha própria personalidade”, diz.

Lançamento mundial

Noite de Festa marca a entrada do escritor no mercado internacional, já que o conto também terá edição em inglês. “A festive evening” tem tradução de Heloísa Ribeiro, escritora mineira que vive em Londres, Inglaterra. “É um momento histórico ter um trabalho meu traduzido e ao alcance de leitores do mundo inteiro”, comemora o escritor nascido em Manaus.

As duas versões do conto, em português e inglês, chegam simultaneamente no Brasil, Estados Unidos, México, Alemanha, Reino Unido, Espanha e Suíça por meio das lojas Amazon, Barnes & Noble, Apple iBooks, Kobo, Wook, Clube Del Livro, Buecher, El Corte Inglés, Hugendubel, Mayersche Buchhandlung, Orell Füssli, OsianderTagusbooks, Thalia e Weltbild.

Obra original

Na trama de 1843, o rico e avarento Ebenezer Scrooge despreza o Natal, embora já tenha amado a data e seus significados durante a infância e a juventude. Certa noite, ele é visitado pelo fantasma do ex-sócio Jacob Marley, morto sete anos antes, na mesma época. O fantasma explica que não consegue ter paz por não ter sido bom em vida, mas que Scrooge teria uma chance.

O fantasma releva, então, que Scrooge será visitado por três espíritos. O primeiro, chamado de “Espírito dos Natais Passados”, aparece e leva Scrooge de volta no tempo para ver a si mesmo na mocidade, quando ainda amava o Natal. O segundo, o “Espírito do Natal Presente”, mostra o pobre e explorado funcionário de Scrooge, Bob Cratchit, feliz e unido com a família.

O último fantasma, “O Espírito dos Natais Futuros”, mostra um cenário de solidão e tristeza para Ebenezer Scrooge, que, segundo a visão mostrada, morrerá sozinho, sem família ou amigos. Após a revelação, o rico homem muda de atitude e passa, inclusive, a ser um segundo pai para o pequeno Tim, um dos filhos de Bob Cratchit que tem problemas nas pernas.

O livro, escrito em apenas um mês para que Dickens pudesse pagar dívidas, tornou-se best-seller na época, com milhares de cópias vendidas nas primeiras semanas do lançamento. Hoje, A Christmas Carol é considerado por muitos críticos como um dos maiores clássicos natalinos de todos os tempos, influenciado gerações de escritores desde então.

Outras adaptações

Desde meados do Século 20, quando o clássico caiu em domínio público, o enredo ganhou dezenas de adaptações para o cinema, como Os Fantasmas de Scrooge (2009), estrelado por Jim Carrey, e O Natal do Pimentinha (2007). Até mesmo a DC Comics já utilizou o enredo de Dickens para um arco especial do Homem-Morcego, com Batman: Noël (2011).

Uma das versões mais conhecidas é a animação Mickey’s Christmas Carol, de 1983, da Disney. Na película, o personagem Tio Patinhas – que já, ele próprio, baseado no protagonista da trama clássica (o nome em inglês do pato milionário e avarento é Uncle Scrooge) – vive Ebenezer Scrooge. Mickey Mouse interpreta Bob Cratchit, enquanto o Pateta vive o fantasma do ex-sócio de Patinhas.

No Comments

Add Comment