m
Loader image
Loader image
Back to Top

Blog

Lendari passará a pagar royalties adiantados para a coleção “Contos de Bolso”

Pioneira ao criar a coleção “Contos de Bolso”, em 2017, e lançar edições físicas individuais de histórias de terror e ficção científica em formato reduzido, a Lendari vai trazer outra novidade para o ano que vem: pagamento adiantado de royalties de direitos autorais. O editor-chefe do Grupo Lendari, Mário Bentes, explica que a mudança estará no próximo edital para recebimento de contos para a coleção, em novembro deste ano.

Iniciada em julho de 2017, com EXO, do próprio Mário Bentes, O Corpo, de Rodrigo Ortiz Vinholo, e A Bruxa do Olho de Vidro, de Maud Epascolato, a coleção “Contos de Bolso” está, atualmente, digitalizando seus títulos. Os dois primeiros já ficaram entre os mais vendidos na Amazon nas últimas semanas de setembro. A Ponte, de Carol Peace, foi o único título da coleção lançado em 2018 e será digitalizado juntamente com A Bruxa do Olho de Vidro, ainda em 2018.

Com as mudanças, a coleção “Contos de Bolso” deverá lançar um título a cada dois meses em 2019, exclusivamente em formato digital, em mais de vinte lojas especializadas em todo o mundo. A previsão da Lendari é pagar aos autores, antes do lançamento de cada e-book, o equivalente a 25% do preço de capa de 500 unidades digitais. A prática comum das editoras mais tradicionais do mercado consiste em pagar, em média, de 10 a 15% das vendas a cada seis meses ou um ano.

Outra mudança da coleção é que apenas os títulos mais vendidos e mais bem avaliados ao longo do ano ganharão edições especiais físicas, no mesmo formato reduzido atual, reunidas em um box que será comercializado com exclusividade pela Lendari Store. Além disso, o “Prêmio Deusa Lendari”, anunciado recentemente e que valerá para todos os selos editoriais do grupo, terá uma categoria específica para os títulos da coleção.

“Com exceção das antologias, que passaram a ter cotas de aquisição em janeiro de 2018, a Lendari é tradicional. Assumimos os custos de edição e todo projeto gráfico dos títulos e, exclusivamente para os contos de bolso, vamos pagar os royalties adiantados para atrair ao nosso panteão lendário autores que já se destacam em vendas na Amazon, mas que acabam arrecadando uma quantia significativa de recursos apenas meses depois do lançamento”, afirma Mário Bentes.

A iniciativa, segundo o editor-chefe, é uma forma de contribuir para a profissionalização do mercado. “Queremos incentivar os autores a produzir mais e com frequência, sabendo que, se aprovados nos editais, vão receber antes pelas vendas de seus livros digitais. Isso vai criar um circuito permanente de profissionalização, estimulando esses autores a reservar um tempo de sua semana para produzir. Ao mesmo tempo, ampliamos nosso catálogo digital”, explica Bentes.

O edital 2019 da coleção “Contos de Bolso” deve ser publicado em novembro de 2018. Deverão ser avaliados apenas contos inéditos de autores brasileiros, com tamanhos de até 50 mil caracteres, nas categorias terror, horror, suspense, realismo mágico, fantasia, dark fantasy e ficção científica.

No Comments

Add Comment